insetos

Thursday, June 07, 2012

Entomologia

 
MUNDO DOS INSETOS
Imagens de um PIOLHO no microscópio (foto acima e abaixo).
Os piolhos têm entre 0,5 e 8 mm de comprimento, corpo achatado e garras que lhes permitem a fixação ao hospedeiro. Os ovos do piolho, ou lêndeas, são esbranquiçados e postos na pelagem ou penas dos hospedeiros. Em humanos, a infestação por piolhos é denominada PEDICULOSE.
O MUNDO FANTÁSTICO dos INSETOS
Besouros, baratas, grilos, cigarras, moscas, percevejos, mosquitos, cupins, abelhas, borboletas, formigas e muitos outros formam uma verdadeira legião de criaturas fantásticas que dominaram o planeta, chamados de insetos, onde equivalem à 64% dos seres vivos que atualmente estão na Terra, ou seja, são mais de um milhão de espécies descritas. Portanto, em termos evolutivos são os seres que realmente conquistaram o nosso planeta; surgiram aqui muito antes dos dinossauros, há mais de 350 milhões de anos atrás, sendo corroborado por achados fósseis, como baratas e libélulas com aparência semelhante das atuais, porém com dimensões maiores, sendo um bom exemplo disso a "macroneura", uma libélula com asas de mais de 70 cm de envergadura e com um corpo de 40 cm de comprimento, mas suas asas não dobravam sobre o corpo, fato que certamente impedia uma fuga rápida, tornando-se presa fácil, mas as atuais são bem menores e velozes; as fabulosas baratas também eram um pouco maiores que as atuais, mas sua aparência manteve-se inalterada até hoje, evidenciando que já surgiram biologicamente adaptadas as condições de nosso planeta, conseguindo sobreviver em condições inóspitas, inclusive comprovou-se resistirem à elevadas doses de radiação em laboratório. Os insetos detém alguns "recordes" biológicos, como o Titanus giganteus, um besouro amazônico com mais de 22 cm de comprimento, que além ser o maior inseto em peso, também é o maior invertebrado voador; o Macodontia cervicornis, com à mandíbula mais robusta entre os insetos, um "alicate" de mais de 4 cm, chegando à atingir um comprimento total de mais de 15 cm; a barata d'água ( Lethocerus grandis) é o maior inseto aquático com quase 12 cm, na verdade é um “vampiro” predador que, com sua tromba sugadora, capta sangue desde pequenos peixes até rãs; o Dynastes Hercules, um besouro da Amazônia que chega à 17 cm, cujo o macho é dotado do maior "chifre" frontal entre os insetos. Na realidade o maior inseto em comprimento do Brasil, porém de baixo peso, é uma fêmea do bicho-pau (Bactridium grande) com cerca de 27 cm e por se parecer com um graveto, consegue uma perfeita camuflagem entre as plantas (mimetismo) e ela pode colocar até 700 ovos de uma vez. Temos no Brasil insetos que figuram nas lendas indígenas e folclóricas, como a Jequitiranambóia (Fulgora lanternaria) que na lígua tupi significa “cabeça de cobra voadora” devido à sua estranha cabeça que, certamente incentivou o imaginário indígena, os mesmo citam como serem insetos amaldiçoados que possuem veneno que, ao picar uma árvore ou animal, condena-os à morte, mas na verdade é um inofensivo inseto do grupo das cigarras que possui apenas uma protuberância expansiva na cabeça. Não posso deixar de citar que, entre os insetos, encontramos as sociedades "perfeitas" , biologicamente divididas em castas e cada um com seu “trabalho”definido, como ocorre nos cupins, nas formigas e nas abelhas; em termos gerais há uma líder matriarcal( a rainha) no topo da sociedade, sendo a única que garante à reprodução com à postura dos ovos, há os machos ("reis") reprodutores que possuem à função de fecundarem à rainha, temos as operárias- fêmeas inférteis que possuem o trabalho mais árduo na colônia, desde à construção da mesma e captação do alimento até cuidar dos ovos e temos também os indivíduos "soldados" com fortes mandíbulas, são responsáveis pela defesa da sociedade.
CARACTERÍSTICAS NOTÁVEIS
Os insetos são os únicos invertebrados com real capacidade de vôo, mas muitos não as possuem, como as pulgas, traças, piolhos, cupins e formigas, sendo que os dois últimos desenvolvem asas na época reprodutiva, perdendo-as após à cópula; caracteristicamente, os insetos possuem o corpo dividido em três partes distintas constituídos por segmentos (metâmeros): cabeça, tórax e abdome. A cabeça é formada pela fusão de seis segmentos, onde se localizam os principais órgãos sensoriais, como um par de antenas(função sensorial de olfato, tato e, em algumas espécies também de audição), olhos compostos(constituído por inúmeros omatídeos formando um "mosaico"de imagens), ocelos (olhos simples no alto da cabeça, nunca superior à três) além de apêndices bucais, entre os quais se destaca um par de mandíbulas; esse sistema bucal pode ser sugador, como nas borboletas que, através da espirotromba(maxila) suga líquidos açucarados, temos o sugador-labial (nas cigarras) com tromba perfurante para sugar seiva das plantas, temos o aparelho bucal lambedor(nas abelhas) com o lábio bem alongado para captar néctar das flores, temos a "boca" mastigadora (nas baratas) dotadas de fortes mandíbulas com dentículos debaixo do labro para mastigar e temos também o aparelho bucal picador-sugador que todos devem ter sentido ao ser picado por pernilongos. A segunda parte do corpo dos insetos é o tórax, a "base" de locomoção, compostos por três segmentos chamados de protórax, mesotórax e metatórax, facilmente perceptíveis pois em cada um deles estão inseridar um par de patas articuladas, estas geralmente com cinco segmentos: coxa, trocânter, fêmur, tíbia e tarso; portanto, todos os insetos possuem seis pernas e também no dorso do tórax se desenvolvem as asas, onde na maioria são dois pares, com asas anteriores(mesotorácicas) que em certos insetos são extremamente rígidas e duras, chamadas de élitros nos besouros e com asas posteriores (metatorácicas) que são sempre membranosas. E a última parte do corpo é o abdome, centro da fisiologia e reprodução dos insetos, é formado por onze segmentos, onde no último situa-se à abertura anal e no penúltimo o poro genital masculino nos machos e nas fêmeas o poro genital fica no antipenúltimo; em inúmeros insetos há, no décimo segmento, um par de apêndices (cerco) que em algumas espécies possuem à forma de pinça. Por possuírem pequeno porte, os insetos podem sobreviver em locais pouco amplo e "inacessíveis", uma outra característica notável é detentor de uma eficiente forma de proteção externa, um exoesqueleto de quitina, constituída por uma substância protéica rígida e córnea que, além de conferir proteção de todas as partes de seu corpo, também evita à perda d'água, o que lhe confere vantagem na adaptação aos diversos ambientes sobre muitos invertebrados; devido ao exoesqueleto, um inseto adulto não pode mais crescer, mas quando jovens passam por mudas (ecdises), onde trocam suas "cascas" inúmeras vezes cada vez que crescem até tornarem-se adultos.

Labels: , , , , , ,

0 Comments:

Post a Comment

<< Home